Fechar
Fechar

Planejamento estratégico: como ajudar as empresas a definirem objetivos e metas

Teste o LUZ Prime por 7 Dias e Escale sua Consultoria com Modelos

Após ajudar o seu cliente a dar os primeiros passos do planejamento estratégico (desenhar a identidade organizacional e mapear o cenário), é hora de definir os objetivos, metas, indicadores e plano de ação.

Mas não se esqueça de que, enquanto consultor, sua função é mediar essa segunda etapa do planejamento estratégico.

Afinal, cabe ao cliente saber onde deseja chegar.

Com o seu conhecimento, experiência e as ferramentas certas, você pode oferecer a ajuda que as empresas precisam nesse processo tão importante!

Dica #1: Faça das metas globais o ponto de partida

Por metas globais, eu me refiro aos objetivos estratégicos, que trazem uma visão de futuro para o seu cliente.

Nessa hora, é preciso levar em conta as informações que foram levantadas na etapa anterior. Com base nos princípios organizacionais e nas análises feitas, fica mais fácil traçar objetivos adequados ao momento em que a empresa se encontra.

Além de serem claros e objetivos, eles não devem ser baseados apenas no que uma ou outra liderança deseja. Também precisam estar bem fundamentados.

Não é por acaso que tantas organizações contratam consultores quando precisam planejar o futuro.

Uma dica é focar sempre em 3 metas. Embora a decisão final seja do cliente, você pode direcioná-lo para traçar metas globais ligadas a:

  1. Crescimento: receita, número de clientes, etc;
  2. Sustentabilidade: redução de gastos, lucratividade, captação de investidores, etc;
  3. Propósito: algo que demonstre uma evolução na missão e/ou na visão da empresa.

Entre elas, a terceira costuma ter o maior potencial da motivar as equipes. Portanto, vale a pena deixá-la exposta para a empresa toda.

Dica #2: Parta para o nível tático do planejamento estratégico

A partir dos metas globais, você deve conduzir seu cliente para o nível tático. Ou seja, precisa ajudá-lo a segmentar os objetivos maiores em objetivos menores, que devem:

  • ser atribuídos a áreas e departamentos da organização;
  • e ter um horizonte de ação de médio prazo.

Essas características permitem que o planejamento estratégico se concretize.

Teste o LUZ Prime por 7 Dias e Escale sua Consultoria com Modelos

Isso porque são esses objetivos mais específicos que farão as metas globais se tornarem realidade para a empresa.

Tratam-se de desdobramentos vinculados a todas as unidades de negócio, que devem cumprir funções específicas para contribuir com o nível estratégico.

Vamos supor, por exemplo, que um dos objetivos globais do seu cliente seja aumentar as vendas em 25% no próximo ano. Embora a área comercial esteja diretamente ligada às vendas, a responsabilidade por esse objetivo não é só dela.

Também depende da contribuição de estratégicas de marketing, de uma boa comunicação, do fortalecimento da relação com os clientes, etc. 

E os objetivos táticos possuem um horizonte de tempo menor, já que definem ações mais segmentadas para alcançar os objetivos a longo prazo.

Dica #3: Conte com o apoio de ferramentas para definir objetivos e metas

Traçar objetivos táticos nem sempre é uma tarefa simples. Muitas vezes, o cliente precisa da ajuda do consultor para definir objetivos inteligentes.

Fique sabendo que existem metodologias desenvolvidas especialmente para isso. Vou te apresentar algumas delas:

SMART

SMART é o acrônimo para os atributos que todo objetivo deve ter:

  • Specific (Específico): o que se deseja alcançar deve ser bem específico;
  • Mensurable (Mensurável): precisa ser mensurável por meio de indicadores;
  • Attainable (Atingível): a empresa deve ser pé no chão e traçar objetivos alcançáveis;
  • Relevant (Relevante): o objetivo deve gerar benefícios para a estratégia e estar alinhado à realidade da organização;
  • Time-bound (Temporal): precisa vir acompanhado de uma prazo determinado.

A partir desses atributos, você consegue ajudar o seu cliente a construir um plano estratégico mais amarrado, potencializando as chances de sucesso.

OKR: Objectives and Key Results

A metodologia OKR (Objetivos e Resultados-chave) é mais uma opção para os consultores ajudarem as empresas a traçar e acompanhar objetivos no planejamento estratégico.

Foi criado pela Intel e se popularizou ao ser usado por grandes empresas, como Google, LinkedIn e Twitter.

Conta com dois componentes principais:

Teste o LUZ Prime por 7 Dias e Escale sua Consultoria com Modelos
  • Objetivos (O): que devem ser concisos e qualitativos;
  • Resultados-chave (KR): 2 a 5 metas quantitativas que ajudem a alcançar cada objetivo.

Para ilustrar melhor como o método funciona, vamos ao exemplo:

Objetivo:

Criar um sistema de vendas recorrentes.

Medido por:

  • Resultado 1: geração de 100 novos leads por mês;
  • Resultado 2: aumento da taxa de conversão de 5% para 10%;
  • Resultado 3: criação de um novo post ou vídeo por semana.

Saiba que a metodologia OKR é útil sobretudo para traçar objetivos táticos porque ela foi pensada para um período de análise trimestral. Assim, funciona muito bem para acompanhar objetivos de médio prazo.

Dica #4: Defina indicadores para cada objetivo tático

Ao elaborar o plano estratégico, você já pode pensar no acompanhamento que deve ser feito posteriormente para verificar se as metas estão sendo atingidas.

Isso depende da definição de indicadores e métricas para cada objetivo tático. Assim, é possível medir a evolução do plano traçado.

Essa necessidade fica evidente ao adotar as metodologias da dica anterior, mas vale a pena reforçar.

E saiba que nada impede você de criar um método próprio, adequado à realidade de cada cliente. Se essa for sua opção, não deixe de montar um dashboard (painel de indicadores) em que você possa organizar os resultados que vão sendo atingidos por cada área da empresa.

A partir dessa coleta, você também pode gerar gráficos para apresentar o andamento do plano estratégico para o seu cliente.

Dica #5: Use o método 5W2H para traçar o plano de ação

O método 5W2H é uma das melhores metodologias para traçar o plano de ação, que consiste no desdobramento das estratégias.

Seu nome vem das 7 perguntas básicas que devem ser feitas para cada objetivo tático:

1. What (O quê?): descrição do objetivo a ser alcançado;

2. Why (Por quê?): o motivo pelo qual esse objetivo foi traçado e as vantagens que traz para a seu cliente;

3. How (Como?): a ação a ser feita para concluir tal objetivo;

4. Who (Quem?): a área e o profissional responsável por executar a ação;

5. When (Quando?): prazo para a conclusão da ação;

6. Where (Onde?): o local ou canal por meio do qual a ação deve ser realizada;

7. How much (Quanto?): o custo envolvido na execução.

Uma dica é montar uma tabela com essas informações para facilitar o gerenciamento e o acompanhamento do plano de ação.

Veja o modelo a seguir:

Exemplo de estrutura 5W2H

O objetivo deste artigo foi apresentar a você as práticas e metodologias a serem adotadas no processo de elaboração dos objetivos no planejamento estratégico dos seus clientes.

Por terem sua eficiência comprovada, elas ajudam você a montar um plano alinhado ao propósito das empresas e que seja capaz de levá-las aonde desejam chegar!

Teste o LUZ Prime por 7 Dias e Escale sua Consultoria com Modelos

Conteúdos semelhantes

Deixe um comentário

×

 

Suporte LUZ

× .